ImageAlma estrangulada (Emilio Moura)

Cada um de nós que vai por essa estrada deserta

Sente que uma multidão de espíritos vive dentro de si.

Às vezes nos surpreendemos tão diferentes de nós mesmos…

(As sombras na alma pesam tanto, são tão quietas,

Como a noite, são tão frias, como o luar)

… tão diferentes, como se, de súbito,

Uma multidão de espíritos vivesse dentro de nós.

(Emilio Moura nasceu em Dores do Indaiá, MG, em 1902 e faleceu em Belo Horizonte, em 1971. Foi um dos grandes do movimento Modernista. Junto com Carlos Drummond de Andrade, fundou a Revista, um dos primeiros periódicos do movimento. Foi fundador e diretor da Faculdade de Ciências Econômicas).